Como Chegar Lá

Como fixar sua marca pessoal no cenário corporativo

Uma marca nada mais é do que a reputação de uma determinada pessoa ou produto, sabemos como será sua imagem pelo que ela representar, mas a construção de uma marca não é tão simples e exige disciplina do criador.

Uma boa marca é algo confiável, seguro, duradouro,  e é sempre importante lembrar dos esforços para chegarmos a uma boa fama seja na vida pessoal ou profissional.

Seja bem-vindo! esse artigo foi pensado para te ajudar na construção da sua imagem no mundo corporativo, como se conhecer, saber suas paixões e ter uma linha de raciocínio que te guiará nesse objetivo

Se você se interessou por esse artigo até aqui, é porque se preocupa com a construção da sua imagem pessoal como aliada em sua carreira profissional.

1. Quem é Você???

O autoconhecimento é o primeiro passo na construção da sua imagem, pois VOCÊ não poderá dar o próximo passo se não tiver certeza de quem VOCÊ é, e só chegará a algum lugar depois de conhecer a si mesmo.

Aproveite esse momento para fazer uma viagem dentro de si e descobrir suas paixões, suas dúvidas, seus medos e seus desejos.

2. Faça um mapa da sua personalidade, não tenha vergonha.

Escreva tudo o que você acha de si mesmo e em seguida convide alguns amigos, sinceros é claro… Eles vão dizer os seus pontos positivos e negativos.

Seus valores são muito importantes nesse momento, pois são eles que conduzirão sua vida.

Eles podem ser a sua família, seus amigos, a comunidade onde frequenta, e a sua intelectualidade.

Esses valores costumam direcionar as pessoas quando se confrontam com decisões importantes, como a escolha de uma profissão, a mudança de emprego, entre outras.

Observe que não há limites para a inclusão de valores na sua lista.

Só não esqueça que eles serão a sua referência, por isso, priorizar seus valores contribuirá na construção da sua personalidade e o ajudará numa entrevista de emprego, já que as empresas sempre buscam profissionais suscetíveis às características do cargo proposto e em contrapartida, você também terá essa reciprocidade.

Exemplificando: se a empresa tiver aspecto de gestão muito conservadora e a sua personalidade não se encaixar nesse perfil certamente estará no ambiente errado e não terá o crescimento desejado.

3. Priorize seus valores

Haverá ocasiões em que os seus valores entrarão em conflito…  Por exemplo, se no seu conjunto de valores você colocou ambição e ao mesmo tempo família e ambos com o mesmo peso eles poderão  se conflitar quando um deles falar mais alto.

Pense numa carreira promissora onde você precisará trabalhar em horários alternativos, fazer viagens de negócios e aí com certeza terá dificuldades para conciliar o seu convívio e o seu relacionamento com a família.

Nesse momento o valor ambição falará mais alto e então você perceberá que eles não são iguais e terá que estabelecer prioridades.

Todos nós conhecemos alguém que tem sucesso profissional, mas não tem o mesmo sucesso no relacionamento com a família, ou não consegue ter uma vida social num grupo.

Mas se esse for o seu objetivo construa a sua imagem a partir desse ponto, priorize os seus valores e certamente criará a sua marca pessoal.

4. O que você gosta de fazer?

Como você aproveita o seu tempo?

Não esqueça que as suas paixões podem influenciar os seus valores, mas são momentos diferentes..poderão se cruzar, mas já terão um peso pré-definido.

O importante é que nessa fase você identifique o que gosta de fazer, quais atividades são prazerosas para você e desse prazer tire proveito na sua vida profissional, como as maiores recompensas e te dê impulsos, inclusive, para atividades extraprofissionais.

“Essa é a chave para a construção da sua imagem”.

Podemos citar como exemplos:

Esportes, associações, viagens, projetos, hobbies dentre outros.

Seus valores juntamente com suas paixões poderão te dar foco e te ajudar a planejar o seu futuro.

E podemos dizer com convicção, que será mais feliz numa profissão que possa unir essas duas forças, mas para não entrarmos em contradição, não podemos esquecer do concilio do tempo entre seus valores, como a família, por exemplo.

5. Idealizando suas características

Nesse próximo passo você precisa identificar sua personalidade.

Existem aspectos que podem moldar o que você é.

Pode até encontrar testes que revelem um pouco destes aspectos, mas o seu comportamento na maioria das vezes, identifica suas características e uma autoanálise vale mais que qualquer teste, e te dará também um parâmetro para algum possível tratamento, caso necessite, e seja importante para a sua carreira.

Entretanto, deixemos claro que não existem características certas ou erradas. Em nenhum momento podemos dizer que os seus traços identificam a profissão que você vai seguir e se você terá sucesso, ou mesmo que influenciará na imagem profissional que você está criando.

Está gostando do nosso artigo? Espero que sim, porque o nosso objetivo é levar conteúdos notáveis que farão a diferença não só na sua carreira, como na sua vida pessoal.

Ah, não esqueça de cadastrar seu email no campo logo abaixo para receber mais… 

Conteúdo exclusivo e sempre atualizado!

>

Esse é um fator que você poderá definir.

Essas avaliações podem ser partilhadas com sua família e amigos, e esses também poderão ajuda-lo na composição da sua marca pessoal.

Eles podem ajudá-lo a perceber sua personalidade.

Pergunte-lhes o que pensam de você, dos seus valores, o que acham das suas ações, das suas ideias e assim você poderá compreender quem você é e onde pode melhorar e se encontrar na sua vida pessoal e profissional.

6. Onde você quer chegar…

Como diz uma frase popular – “se você não sabe para onde vai, qualquer lugar serve”, já não se encaixa mais nesse artigo.

Quando nos conhecemos, as aptidões já foram desenvolvidas e já traçamos nosso perfil, tecnicamente já estamos aptos a descobrir onde queremos chegar e o que queremos para o nosso futuro profissional e pessoal.

Então estamos aptos a discutir onde queremos chegar, e para não desanimarmos, vamos dividir isso em algumas etapas:

1ª Etapa:

Mapear os pontos felizes que já viveu, seja estudando ou no seu último emprego.

Certamente foi gratificante em algum momento e pode ter ficado orgulhoso de algum feito.

Avaliar aspectos positivos deixa-nos entusiasmados e motivados a nos superar, portanto, use essas experiências em benefício próprio e isso pode ajudar a definir o tipo de profissional que seremos no futuro.

2ª Etapa

Conselho: enfatize todas as coisas positivas que tenha passado, em todas as fases da vida.

Categorizar todos os pontos fortes e posteriormente comparar com outros tempos.

Exemplo: Monte uma tabela e coloque o que você era, o que você é e o que você quer ser.

Nesse momento poderemos visualizar profissões que nos deixarão satisfeitos na vida profissional.

3ª Etapa

Agora que você já nivelou, conseguirá visualizar o tipo de profissão que o fará feliz e mais facilmente buscará os seus objetivos e estabelecerá metas mais reais.

Você pode descrever o seu perfil e focar na sua profissão.

Conclusão – considerações:

A bagunça na nossa mente, ou talvez as influências que sofremos são fatores que podem nos encalhar nos primeiros passos, mas a partir do instante que se acende uma luz e conseguimos nos orientar e nos conhecer melhor, criamos nossa marca e não temos mais erros nas nossas escolhas, daí o caminho do sucesso profissional estará garantido.

“Aqui fechamos mais um artigo, espero ter-lhe ajudado deixe seu comentário temos muito interesse na sua opinião”.

Quer receber mais conteúdos notáveis?

>